terça-feira, 9 de julho de 2013

Ad Hominem a Adauto Lourenço

Nos meus vídeos em que critico a diarréia mental do Adauto Lourenço sempre vem algum zé ruela vomitar o currículo do cara para validar suas bobagens. Vamos brincar um pouco de Ad Hominem, só pra variar, que tal?



"Adauto J. B. Lourenço, B. Sc., MSc., é formado em Física pela Bob Jones University, USA. Mestrado em Física Nuclear pela Clemson University, USA. Pesquisador responsável em Sistemas de Imagem de Estruturas Atômicas (Oak Ridge National Laboratory), é membro da American Physics Society, EUA e pesquisador em Trocas de Energia em Nível Atômico (Max Planck Institut für Stromunsgsforchung, Alemanha)."

B.Sc.


B.Sc. significa que ele tem um bacharelelado (literalmente, Bachelor in Science). Bob Jones University é uma universidade privada assumidamente cristã e criacionista.
Programas acadêmicos infundidos com um ponto de vista bíblico
Os objetivos são bem claros. Doutrinar as pessoas para o cristianismo, e dar um jeito de empurrar a visão bíblica na ciência.
Equipar indivíduos com a visão de mundo bíblica e com a habilidade de defender essa visão de mundo.
Ou seja, desonestidade em sua pura forma.

A qualidade da "pesquisa" feita lá também é fácil de se ter uma idéia. O banco de dados de física de partículas Inspire cataloga artigos, pesquisadores e universidades. A universidade inteira possui apenas três artigos nesse banco de dados, e os três publicados no BJUPHYSICS, um periódico da própria universidade. Em comparação, a Universidade Mackenzie, em São Paulo, também privada e também cristã,  possui 59 registros em periódicos sérios, e não jornalecos imprimidos na própria Universidade (só até onde consegui encontrar, talvez sejam mais que isso).

O currículo do curso de física da Bob Jones é uma piada imensa. Matérias como "Doutrina Bíblica", "Mensagens do Antigo Testamento" e Apologética fazem parte da grade curricular. E matérias de física e matemática mesmo são poucas, comparadas com qualquer curso sério.

Curiosidade: A Bob Jones University possui um histórico de racismo notável. Não tem a ver com o resto do texto, mas é sem dúvida algo interessante a se notar.

MSc.


Masters in Science. Mestrado em Ciência. Para essa etapa, ele foi para uma universidade séria. Legal. Isso então o habilita a falar como estronomia, cosmologia e evolução estão errados? Vejamos. A dissertação de mestrado dele teve o título "Inelastic Scattering of Helium from Rhodium (111)<110>". Traduzindo, "espalhamento inelástico de Hélio com Ródio". Ou seja, ele estudou como que átomos de Hélio e Ródio batem um no outro. Isso o torna conhecedor de cosmologia? Não. O torna conhecedor de formação de planetas? Não. Isso garante que ele sabe algo física atômica, talvez molecular, e quântica não-relativística.

Significa então que ele não sabe outras coisas? Não. Apenas significa que, pelo que sabemos da área de mestrado dele e da graduação duvidosa, é muito possível que ele não tenha estudado assuntos como cosmologia e astrofísica para que saia dizendo que todo o conhecimento acumulado dessas áreas, feitas por milhares de pessoas que dedicaram anos estudando a fundo tais coisas, estejam errados.

E biologia, então? Em sua formação não há qualquer especialização em áreas de biologia evolutiva. Mais uma vez, seu conhecimento de espalhamento de átomos não o torna qualificado para desbancar o que centenas de anos de pesquisa acumularam de evidências (evidências essas que ou ele não conhece, ou ele convenientemente finge que não existem).


Pesquisador responsável em Sistemas de Imagem de Estruturas Atômicas (Oak Ridge National Laboratory)


Buscando sobre o assunto, durante seu mestrado ele publicou um único artigo entitulado "Atomic force microscopy of deoxyribonucleic acid strands adsorbed on mica: The effect of humidity on apparent width and image contrast". E esse artigo foi com um grupo nesse laboratório. Só que, até onde pude verificar, o chefe do projeto era o pesquisador David Allison (muito dificilmente um mestrando seria "pesquisador responsável" em qualquer coisa).

"Ah! Mas ele publicou um artigo sobre DNA! Logo, ele sabe sobre biologia!". Não. Ele publicou um artigo em conjunto com outras 5 pessoas sobre como a imagem de DNA é afetada pela umidade em microscópios atômicos, de acordo com a sua área de pesquisa (física atômica). É comum em ciência encarregar jovens estudantes do trabalho "braçal" de artigos, enquanto os membros mais experientes ficam com as partes que exigem mais entendimento. Eu não me surpreenderia se sua contrubuição no artigo tenha sido só de apertar botões e fazer medidas.

Membro da American Physics Society


Se funcionar como funciona no Brasil, já posso ter uma ideia do que isso significa. No Brasil, qualquer graduando em física pode se tornar membro da Sociedade Brasileira de Física desde que pague uma taxa anual de membro. Não imagino que nos EUA seja muito diferente. De qualquer forma, o pessoal do forum Ceticismo e do Sociedade Terra Redonda já fizeram essa busca,

No site da sociedade, nada encontrei sobre Adauto Lourenço. Então mandei um e-mail ao responsável pelo Departamento de Físicos:

Hello.

I would like to know if "Adauto Lourenço" it´s a
member of the American Physics Society.

Thank you.

A resposta que obtive:

Your inquiry was sent to the APS Membership Department for reply.
I am not able to find any record of Dr. Lourenço in our database.

O Departamento de Membros não me respondeu, então mandei um e-mail a eles:

Hello.

I would like to know if "Adauto Lourenço" is a
member of the American Physics Society.

If it will not be possible to send such information,
say to me, please. This information is very important.

Thank you.

A resposta que obtive:

We do not show that Adauto Lourenco is a member of the APS.
Best Regards,

APS Membership Department
p-301-209-3271
f-301-209-0867

Max Planck Institut


Não consegui (e outros também já tentaram em outros foruns) encontrar qualquer registro disso. Considerando que o único artigo do Sr. Lourenço é o já mencionado acima, o meu palpite é que ele pode ter visitado o instituto na Alemanha, como um estudante, e talvez até feito algum curso lá. Essas atividades são muito comuns para alunos de graduação e pós-graduação.

Nasa


Algumas outras fontes dizem que ele trabalhou "com equipe da NASA". Mais uma vez, não há qualquer referência confiável sobre isso. O meu palpite é de que um dos vários autores do trabalho citado acima tenha feito algum outro trabalho com algum grupo da NASA. Seria algo como dizer que porque o meu número Bacon é 5, eu portanto trabalhei com o Kevin Bacon.

Moral da História


Se o Adauto é responsável por esse "parágrafo-currículo" que circula por aí, ele mostra mais uma vez sua desonestidade, ao distorcer sua formação medíocre incluindo nomes pomposos como "NASA" ou "Max-Planck Institut". Se ele quiser desbancar a física e a biologia atuais, ele deveria fazer isso de maneira séria, e não com argumentos infantis e mentiras na tentativa de ludibriar seu público desinformado.



Sobre o tema, recomendo esses links aqui também:
http://holisticadiaria.blogspot.com.br/2008/09/no-burrice-palhaada.html
http://umavisaodomundo.com/2010/07/religiosos-cientistas-validar-religiao/

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Só faltou o baseado

Tudo que você disser em redes sociais pode e será usado contra você:

Depois de uma foto e vários comentários publicados em uma rede social, a secretária de Saúde de Lavras (MG), Gilza Helena de Carvalho, pediu exoneração do cargo. A postagem, que segundo os internautas, fazia alusão às drogas, causou polêmica na cidade.

Na imagem, a ex-secretária aparece vestida com roupas hippies para uma festa à fantasia e escreveu como legenda a frase: “Só falta o baseado”.

Com isso, um blog da cidade utilizou a fotografia com a legenda, o que provocou dezenas de comentários e levaram a secretária a pedir a exoneração do cargo, que foi aceita pelo prefeito Marcos Cherem.

Aí você pensa "nossa, que absurdo, quem é que se incomodaria com esse comentário inofensivo?"

E então você olha nos comentários da notícia e vê coisas do tipo "ela ´so tinha dois neoronios,agora com o bagulho queimou um,nao dá pra trbalhar mais de secretaria" ou "Maconheira tem que se ferrar mesmo!"


Por essas e outras eu penso várias vezes antes de divulgar minha identidade por aí. Vai que meu futuro empregador é um fã do Olavo de Carvalho?

terça-feira, 30 de abril de 2013

D-Dimensões do Mundo Virtual

Como sabem, este blog aqui é um espaço que utilizo para meus devaneios não necessariamente científicos e rants sobre o que acontece no youtube. Se você NÃO quer saber minha opinião sobre outras coisas além de ciência, NÃO acompanhe este blog.

Se você quer acompanhar meus vídeos científicos (se você ainda não o faz), se inscreva no meu canal do youtube,

http://www.youtube.com/user/ddimensoes

Eu tento me manter atualizado com as ferramentas que o Youtube proporciona. Quem acompanha canais no youtube pode perceber que eu aderi ao novo layout, e tentei manter o canal organizado. Críticas e sugestões são extremamente bem vindas.

Eu também escrevo sobre ciência num blog, a Liga dos Cientistas Extra Ordinários,

http://lceo.wordpress.com/

Ainda, eu tento compartilhar notícias e textos que eu considero interessante, ou faço rápidos comentários sobre notícias de ciência atuais de um ponto de vista mais honesto (as vezes nem tanto), utilizando meus perfis do facebook e do google+ ,

https://www.facebook.com/DDimensoes

https://plus.google.com/b/104387718075565552770/104387718075565552770/posts

Tudo que for postado no facebook também será no google+. Em nenhuma das duas redes sociais eu vou divulgar coisas deste blog, então a única forma de você acompanhar as postagens daqui é se inscrever diretamente no blog (seguir RSS ou se inscrever para receber postagens por e-mail).

Eu tentei utilizar twitter mas achei a ferramenta ruim demais, não permite compartilhamento de informações mais precisas ou detalhadas, como eu tento fazer no Facebook ou no Google+. Mas se vocês preferirem twitter, posso fazer um esforço para me manter atualizado por lá.

Por fim, criei uma conta no Pinterest, para organizar imagens e vídeos legais relacionados com ciência e que podem servir de material para vídeos futuros. Então quem usa essa ferramenta também e quiser acompanhar, sinta-se a vontade.

http://pinterest.com/ddimensoes/

sábado, 27 de abril de 2013

Defender a Família. Todas elas.

O Robson Fernando fez um ótimo texto, com referências muito interessantes, questionando o famoso argumento "em defesa da família". Qual família?

O racismo da defesa exclusivista do molde “cristão” de família

Eu adoraria ter algo a acrescentar, mas não tenho. Só digo para irem lá, lerem, e lerem os links também.

quinta-feira, 14 de março de 2013

Fim do Google Reader

É isso. O fim foi anunciado. A partir de 1o. de Julho de 2013, não haverá mais essa ferramenta dos que ainda gostam do bom e velho RSS para ler coisas, ao invés de uma timeline poluída em facebooks ou twitters.

Mas existem alternativas. Uma bastante popular é o Feedly. Eu particularmente não gosto, já que ele coloca todas as postagens numa interface suja que parece um site de notícias. Uma outra é o The Old Reader, que comecei a usar agora, apesar de ser um pouco devagar para adicionar inscrições, funciona bem.

Vocês tem mais sugestões?

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Shocking Lines Illusion!

Esse canal no youtube, greenpro2009, é ótimo. Vídeos bem curtos, que brincam com ilusões de ótica. Acho fascinante como nosso cérebro pega atalhos para fazermos estimativas e previsões de forma rápida e segura, mesmo que vez em quando esses mesmos atalhos nos enganam...

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

O Caminho à Frente (LCEO)

Texto novo na LCEO,

(...) um dos possíveis desfechos do LHC poderia ser o fim da física experimental de partículas. Os experimentos do LHC iriam confirmar as previsões do Modelo Padrão nas energias acessíveis, e não apresentariam nenhuma indicação da próxima escala de energia onde o Modelo Padrão deixa de funcionar.

Vão lá ler. =)


http://lceo.wordpress.com/2012/12/02/o-caminho-a-frente/

domingo, 2 de dezembro de 2012

Perguntas sobre Cosmologia - João Campos

Recebi há um tempo uma série de perguntas sobre cosmologia. Na época eu respondi por e-mail, mas achei adequado colocar em post, caso outras pessoas tenham dúvidas parecidas. Acho bom enfatizar que eu não sou cosmólogo, embora saiba um suficiente pra me julgar capaz de responder essas perguntas mais simples. Mesmo assim, como em qualquer assunto, eu posso estar errado.

Se quando viajamos numa velocidade próxima a da luz o tempo é relativo, com relação a quem são as medidas geralmente faladas?

Com relação a um observador onde a coisa (seja o que for) está parada.

Tipo: A nossa galáxia tem aproximadamente 100 mil anos-luz. Suponha que um grupo viaje, numa nave, na velocidade da luz de uma ponta a outra da galáxia (ignorando qualquer obstáculo no meio). Esse 100 mil anos é pra quem fica na Terra ou pra quem está na nave (quando a nave chega do outro lado)?

Para quem está na Terra. É verdade que a Terra não está parada com relação à Galáxia, mas viaja a cerca de 0,1% da velocidade da Luz, então efeitos relativisticos não são percebidos.

Pra alguém bem próximo da velocidade da luz (já que é impossível atingir a velocidade da luz) a galáxia teria um comprimento bem menor.


Não sei qual é a velocidade de expansão do universo. Mas se uma nave saísse do ponta A num extremo da galáxia na velocidade da luz até um ponto B diametralmente oposto, quando chegasse no ponto B a galáxia já terá mais do 100 mil anos-luz de diâmetro? (Uma quantidade significativa claro. 10 anos a mais em 100 mil é desprezível)

Não, por um motivo um pouco diferente. A expansão do Universo, até onde se sabe (e até o momento), não afeta galáxias. O motivo seria que a expansão é muito pequena se comparada a força da gravidade, que mantém a galáxia unida.

No entanto a expansão afeta galáxias diferentes. E a velocidade de expansão é conhecida, e é o inverso da constante de Hubble (pois é assim que a constante de Hubble é definida), cerca de 73 km / s / Megaparsec. Ou seja, uma galáxia distante 10 Megaparsec se afastaria a 730 km/s de nós.

Mas, apenas como um exercício, digamos que a nossa galáxia também se expanda, acompanhando a expansão do universo. O diâmetro é de 0,03 Mpc, então um extremo se afasta do outro a aproximadamente 22 km/s . Em 100 anos, isso dá 70 bilhões de km, ou 0,007 anos luz. Beeeeem desprezível, se comparado com os 100 mil iniciais.

O que se acredita que acontece é que nem esses 0,007 acontecem, pois a gravidade segura a expansão.

Quando se diz que um corpo celeste está a (por exemplo) 2 milhões de anos-luz. Esses 2 milhões é pra gente que tá aqui "parado" ou pra quem está na velocidade da luz?

Ninguém pode estar na velocidade da luz, como eu disse. A distância se refere ao nosso referencial. Se por exemplo apontássemos um laser pra esse corpo celeste, e imagine que exista um espelho colocado lá, receberíamos o reflexo do laser depois de 4 milhões de anos, medidos no nosso referencial. Claro, desde que a distância nesse meio tempo não mude.

Na verdade, alguém viajando bem próximo da velocidade da luz vai completar a viagem de ida e volta em bem menos que 4 milhões de anos de quem está na nave. Esse é um efeito interessante da relatividade, que dá origem ao Paradoxo dos Gêmeos (que não é mais um paradoxo).

Tenho outras, mas vamos começar devagar. Não quero abusar muito.

A Vontade!

sábado, 1 de dezembro de 2012

Resposta ao Davi Simões

Um outro blogger e vlogger que eu gosto bastante é o Davi Simões, aka Primata Falante, que você pode conferir o blog aqui e o vlog aqui. Eu costumo gostar mais de seus textos que de seu vlog, mas ontem li um texto que fiquei tão confuso que me senti na necessidade de responder.

O texto é esse aqui. Eu gostaria de comentar ponto a ponto.

Criticar o feminismo, contrapor religiões, discordar das cotas racistas... digo, raciais, defender a legalização do uso de drogas, questionar a monogamia, etc. etc. etc. nos tornará sempre, aos olhos dos defensores de alguma ideologia, num monstro a ser calado/punido (em vista de calar outros futuramente).

Talvez sua experiência com defensores dessas coisas tenha sido traumática, mas fiquei realmente surpreso quando li isso. Primeiro, eu me considero feminista e sou a favor de ações afirmativas, desde negros em universidades, mulheres em ciências puras e homens em enfermagem. E talvez para a sua surpresa, não, eu não acho que você deve ser calado ou punido.

Na internet, por exemplo, é muito comum encontrar comentários do tipo "vamos denunciar!", que nada mais são do que um inconsciente "vamos censurar antes que pessoas ordinárias, que não compartilham de todo o meu vasto senso crítico, vejam isso!".

Mais uma vez, pode ser que eu esteja vivendo num universo paralelo ao seu, onde as coisas acontecem de forma bem diferente, mas eu nunca vi isso que você está dizendo. Sim, eu já vi convocações para denunciar propagandas ou sites que estejam violando a lei de alguma forma. Por exemplo, no caso da jovem menor de idade que teve fotos pornográficas expostas. Eu ajudei sim a denunciar, pelo simples fato de que a exposição das fotos constitui crime de pornografia infantil.

Vamos ao outro caso, que talvez seja mais relevante aqui. A polêmica Testosterona. Pra quem não sabe, o site com frequência publica posts que vão muito além do machismo, e podem sim ser interpretados como incentivo a violência sexual. O estopim foi talvez um vídeo postado no site com "instruções" de como conseguir sexo anal: bastava dar uma tijolada na mulher e apagá-la. A defesa, tanto do site quanto de defensores da "liberdade de expressão", correram em dizer que era só uma piada.

Houveram dois tipos de manifestações. A primeira foi um abaixo assinado direcionado à MTV, patrocinadora do site, que basicamente falava "caralho, MTV, se liga aí na merda que esse cara tá fazendo!". E vamos combinar, que aos defensores de não-intervenção do estado e de liberdade de expressão, essa é uma atitude muito longe da censura. Nessa, ninguém dizia pro cara ser preso nem nada assim, simplesmente alertando a MTV do que acontece no site.

Vamos a uma analogia. Digamos que eu tenha uma escola privada, e um dos professores de física acredita em astrologia, e tenta ensinar isso aos alunos. Eu fico sabendo disso, e decido demiti-lo. Isso é censurar a liberdade de expressão? De forma alguma. Ele pode continuar fazendo isso na praça, ou fundar a própria escola. Mas na minha, nada de astrologia. Então não consigo imaginar como o abaixo assinado à MTV poderia ser isso. Se a MTV acatasse a sugestão, o dono do site poderia ainda ficar falando suas bobagens, mas sem queimar o filme da MTV.

Mas talvez você esteja se referindo à outra linha de manifestações, que denunciaram o site à Polícia Federal. Dessa eu não participei, mas entendi bem o ponto de quem o fez. A postagem podia constituir apologia ao crime de estupro. E, ao contrário dos Estados Unidos, o Brasil possui leis contra apologia a crime.

Mais uma vez, vamos a uma analogia. É crime xingar algum funcionário gratuitamente. Isso vale pro policial ou para o atendente do McDonalds. Se a pessoa xingada decide acionar a justiça, é porque ela quer impedir a liberdade de expressão? Certamente não. Então como tentar acionar a justiça pra uma coisa que pode sim ser considerada apologia a estupro de repente virou uma guerra contra liberdade de expressão?

Algumas ressalvas. Primeiro, se o pedido fosse aceito, a justiça ainda teria de analisar se constitui crime ou não. Como em QUALQUER outra denúncia. Segundo, um vídeo que só diz que pra comer a bunda de uma mulher basta deixa-la inconsciente é BEM diferente que manifestar uma opinião contrária. Terceiro, como eu já disse, não estamos nos Estados Unidos, onde até onde sei não existem crimes de ódio ou o crime de apologia. Se você não concorda com a lei, ótimo, reclame dela a vontade. Eu mesmo tenho minhas ressalvas quanto a algumas. No entanto, não dá pra acusar de censores pessoas que estão só fazendo aquilo que está na lei.

Ora, qualquer “amante” de uma ideologia que julgue ter encontrado um manual com a melhor forma de defender o bem estar do ser humano – ou, como quase sempre, apenas de grupos específicos – (...) Não consigo compreender essa noção simplista de ver uma ideologia como resposta pra todas as divergências do mundo.

Onde mesmo que eu já vi exemplos disso? Ah, religiões e ateísmo (sim, muitos ateus juram que um mundo ateu seria perfeito), e em alguns raros casos ideologias políticas/econômicas. Mas acho que nem mesmo o Dâniel Fraga diria que o tal anarcocapitalismo que ele tanto ama seria perfeito. E, talvez porque eu viva num universo paralelo, nunca vi isso com as coisas que você citou no começo, feminismo e defesa de ações afirmativas. Nunca vi feminista achar que o feminismo resolveria todas as desigualdades de gênero da galáxia, nem defensores de ações afirmativas achando que só cotas vão acabar com racismo.

O problema começa quando esses grupos param de lutar contra situações concretas de preconceito e violência e passam a querer definir o que as pessoas devem ou não querer, falar e pensar. E isso quase sempre acontece. Ao menos até este ponto da história, tem sido uma regra. Surgem grandes personalidades na luta por direitos iguais e de repente a luta, inicialmente focada nas consequências práticas das relações, começa a ser desviada para o campo sentimental e ideológico.

Nisso eu concordo. Talvez eu discorde do que consideramos "situações concretas de preconceito e violência". Falo mais sobre isso em breve.

Resumindo: ao invés de lutar por uma sociedade onde todos tenham direitos iguais, lutam pra manter um espírito de recalque – por um passado do qual não participamos e não temos culpa –, e reivindicam o direito de regular como as pessoas devem se tratar, sobre o que podem conversar, quais opiniões devem ter e com o que podem ou não fazer piada.

Nós podemos não ter participado do passado, mas o passado participa do presente. Na minha casa mesmo, quando eu era criança, sempre teve uma empregada doméstica, na maioria das vezes negra. Enquanto eu podia fazer cursos e me dedicar só a estudos, ela tinha que trabalhar o dia todo, sem sobrar tempo pra estudar. Eu não tive culpa, não fui eu quem a contratei e não incentivei a estudar. Mas ao mesmo tempo, eu não cheguei onde cheguei por méritos inteiramente próprios. Acho que essa atitude, de falar "aconteceu no passado então não é problema meu" me soa como covardia. Quem diz isso parece querer ignorar o seu papel na situação toda, não como agente, mas como privilegiado.

Você pode ser da opinião que matar mendigos é correto. Inclusive tem muita gente por aí que pensa assim. Mas isso de forma alguma significa que devemos respeitar sua opinião, no sentido de ficar caladinho. Afinal, como chama aquilo que você defende mesmo? Ah, liberdade de expressão. Da mesma forma que você pode dizer que politicamente corretos são idiotas, eu posso dizer que é um tremendo imbecil quem acha que "mulher gorda devia agradecer por ser estuprada" é uma piada engraçada.

Essa é a consequência da liberdade de expressão, Davi. Não significa falar qualquer coisa e não receber reclamações. Pelo contrário. Significa assumir responsabilidade pelo que você diz, e estar preparado pra oposição.

Pra não ser mal compreendido, reforço: existem situações práticas de discriminação, onde pessoas sofrem violência, perdem empregos, têm seus direitos tomados e outros tipos de agressão concreta, que atingem diretamente suas vidas, por motivo de preconceito, e é contra estas situações que devemos lutar. Porém, quando o assunto são palavras, ideias e piadas, as pessoas devem ser tratadas como adultas, responsáveis pelos próprios sentimentos, opiniões, relações e traumas.

Na Alemanha, defender o nazismo é considerado crime. Assim como negar o holocausto. São só palavras, ué. Mas são palavras que a história já mostrou que tem poder. Se você acha que nós somos seres inteiramente racionais, e conseguimos separar completamente o que é "só uma piada" da vida real, desculpe te desiludir. Antes de mais nada, somos uma espécie social. Recomendo a leitura do livro You Are Not So Smart. Recomendo também se informar sobre como "só piadas" podem ser responsáveis pelo que você chamou de "situações concretas de preconceito", por exemplo aqui.

Então você não pode afirmar que são só palavras. Aliás, pode sim, mas tem que estar preparado para quem discorde. E se você simplesmente ignora a opinião de negros ou mulheres quando dizem que determinada piada é sim uma situação concreta de preconceito, então você está fazendo a mesma coisa que critica no texto. Abraçando uma ideologia, a da liberdade de expressão irrestrita, e jurando que qualquer manifestação contrária está simplesmente errada.

Então concluindo:

Eu concordo que liberdade de expressão e pluralidade de idéias é uma coisa ótima, e deve ser preservada. Só que criticar feminismo e dizer que feministas merecem ser estupradas são coisas bem diferentes. Ser contra cotas ou dizer que preto tinha que voltar pra África também é bem diferente.

Eu, assim como o Davi, discordo de acionar a justiça para coisas como apologia a crime, incitação ao ódio, difamação ou calúnia. Mas isso por uma preferência minha. Ao contrário do Davi, eu não acho que quem decide utilizar a justiça é contra a liberdade de expressão. Assim como acho que os que defendem crimes contra racismo ou homofobia também não o são. Apenas querem impedir danos bem concretos na nossa sociedade.

(Para tentar provar o meu ponto, se você acha que feministas e anti-racistas querem censurar opiniões contrárias, procure algum pedido de censura por exemplo daquele vídeo ridículo do Felipe Buarque sobre feminismo, ou do vídeo sobre cotas do Dâniel Fraga. Se você achar, eu retiro tudo o que eu disse.)

Por fim, acho que o texto em geral atacou espantalhos, ou eu, como já disse, vivo num outro mundo. Ninguém está te proibindo de falar mal de feminismo ou de cotas. Mas se você fala, esteja preparado para críticas. Pois pluralidade é isso.